Época-PiG



Época é aquela revista da Globo que mantinha sólidos contatos com
Carlinhos Cachoeira, o que, segundo o Leandro Fortes, da Carta
Capital, custou a cabeça de seu editor-chefe em Brasília, o Policarpo
da Globo.

O sucessor, Diego Escosteguy, tem uma longa carreira no detrito de
maré baixa e, também na academia americana, onde fez um suculento
estudo sobre a corrupção tucana.

A Época também é aquela revista que teve acesso exclusivo às
investigações do delegado Saadi da Polícia Federal sobre o Daniel
Dantas.

Saadi sucedeu o Protógenes.

O Protógenes botou o Dantas duas vezes na cadeia e o Saadi sumiu.

A Época e mais ninguém teve acesso à investigação do Saadi.

Numa das reportagens, a Época mostrou a relação de um lobbista de
Dantas Dantas com o “motorista” do Padim Pade Cerra para degolar um
diretor do Banco do Brasil – e conseguiu.

Noutra, a revista global mostra a relação de Daniel Dantas com os
“ajudantes de ordem” de Fernando Henrique, também para tratar de
assuntos “republicanos”.

Dantas “foi brilhante!”.

Foi.

Depois disso, a Época se desinteressou do resto da investigação do
delegado Saadi.

Onde anda o delegado Saadi?

Onde anda a investigação do delegado Saadi?

Será que Ministro da Justiça, o “Zé” – saiba por que o amigos de
Dantas o tratam carinhosamente por “Zé” – sabe do destino dos dois: do
Saadi e da investigação?

Ele poderá responder à pergunta até quando Cerra será inimputável ?

Ou ele só pensa em ser Ministro do Supremo?
.