100 mil empregos a menos na indústria em São Paulol



O que eu sempre falei,e sempre temi, está começando a ocorrer:

Em macroeconomia não há, em lugar ou época alguma no mundo, medidas e efeitos imediatos, soluções pontuais apenas mascaram os problemas, como as reduções pontuais de IPI que o atual (des)governo vem fazendo, sem atacar o problema estruturalmente, a vaca vai pro brejo.

Lula surfou nos efeitos das medidas, até impopulares, tomadas por FHC, que do mesmo modo surfou na onda das boas medidas tomadas por Itamar.

Só que, Lula em 8 anos de governo nada fez, a não ser jogar para platéia, medidas pontuais e muito, mas muito marketing. Os bons efeitos das medidas do seu antecessor eram vendidos como obras suas, a plebe ignara acreditou.

Agora Dilma, que eh muito melhor preparada do que Lula, estah amargando os efeitos dos 8 anos de inepcia de Lula, e deve começar a enfrentar revezes.

Não ira muito longe e vao começar a colocar a culpa nela, se bem que Mantega não está fazendo nada, só medidas pontuais, nada de atacar estruturalmente os problemas, apenas bravatas,e só isso. Até agora não ocorreu uma unica medida de simplificação de tributações, desoneração de algum setor produtivo, investimento em infraestrutura, nem uma única estrada foi recuperada, nem esta planejada para ser recuperada, so ha planos, mas nem um unico metro de ferrovias foi implantado ou recuperado, nada na área fluvial tambem, ou seja, ateh agora Dilma e Mantega so falam, falam, e garganteiam bravatas, mas nada de agir.

O reflexo da inepcia de Lula estah aparecendo agora, o de Dilma, se continuar assim, vai emendar e teremos anos duros pela frente.

Mas a plebe ignara não se importa com isso, afinal pode se endividar em 60 vezes para comprar carro zero, como se a unica industria no Brasil fosse a automobilistica.

E a militancia tambem nao se importa com isso, afinal nunca se importaram com o pais mesmo, o que importa eh a chapa Haddad-Maluf em Sao Paulo, e a volta de Lula ao palanque.

Materia a seguir (e de fonte chapa-branca):


Desindustrialização: Indústria paulista fechará 100 mil empregos em 2012
Com informações da Agência Brasil - 12/07/2012



Efeito cascata

O nível de emprego da indústria paulista deverá fechar o ano com 100 mil empregos a menos.

O cálculo é de Paulo Francini, diretor da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp).

Segundo ele, a estimativa da Fiesp é que o emprego na indústria paulista encerre o ano com uma taxa 2,3% menor do que 2011.

"Fechar o ano em -2,3% representa alguma coisa como mais de 100 mil empregos a menos do que se tinha no final do ano passado. E isso tem um efeito-contágio," disse ele.

O efeito-contágio, também conhecido como efeito cascata, refere-se ao impacto sobre o emprego em empresas que fornecem componentes, projetos e serviços para as indústrias paulistas.

Erro primário

Apenas no mês de junho foram fechados 7 mil postos de trabalho na indústria de São Paulo.

Com exceção de 2009, ano de agravamento da crise financeira internacional, este é o pior resultado mensal da série iniciada em 2006.

De acordo com Francini, a queda do índice em junho só não foi maior porque o estado de São Paulo mostrou o "novo rosto" da sua economia: o setor de açúcar e álcool abriu 16.533 vagas, mostrando os efeitos da "primarização" também sobre o estado mais industrializado do país.

O processo de "primarização" - equivalente à desindustrialização - refere-se ao aumento da participação das commodities (matérias-primas), representantes do setor primário da economia, em detrimento dos bens industrializados, do setor secundário - o setor terciário responde pelos serviços.

--
"NINGUEM aqui no Brasil tem capacidade então? Pelo visto não."
by Hegelunático - o especialista em empreendedorismo e baba-ovo oficial do Zécabum Dirceu.


.