Globo declarou guerra de baixarias




Globo declarou guerra de baixarias, a ponto de associar Perillo ao PT
no JN

Na véspera do depoimento do governador tucano Marconi Perillo na CPI
do Cachoeira, o Jornal Nacional da TV Globo conseguiu a façanha de não
dizer, nem colocar legendas informando que ele é um governador do
PSDB, em uma matéria de 2 minutos e 21 segundos.

Para piorar, o Jornal Nacional "caprichou" na baixaria e manipulação
ao editar o noticiário. A notícia de Perillo foi emendada com a
denúncia anterior, onde o JN gastou mais tempo (3 minutos e 8
segundos), abrindo fogo contra o PT com baixarias puras, utilizando-se
de ilações a respeito de denúncias sobre o BNB de um ano atrás, e
ainda misturou com episódios de 2005, já amplamente explorados no
noticiário, e que nada tem a ver com o caso do ano passado.

Quem não acompanha o noticiário político, ao ver o bloco do telejornal
é capaz de sair pensando que Perillo é filiado ao PT, quando o
telejornal mostrou o trecho do telefonema onde Cachoeira negocia a
venda da casa de Perillo e fala em levar o dinheiro no Palácio do
governador, na véspera de passar a escritura.

A montagem do telejornal tem duas funções bem conhecidas dos
marqueteiros políticos travestidos de jornalistas: abrir fogo contra o
PT em ano eleitoral, confundir as duas noticias, diluindo o impacto da
segunda, pois na hora em que a notícia de Perillo foi ao ar, já estava
misturada e "amaciada" pela anterior. Daí a importância da ordem, na
hora da edição.

O show de baixaria jornalística na manipulação foi uma verdadeiro
escárnio, lembrando os tradicionais vexames da Globo, quando editou
debates com os piores momentos de Lula, e do episódio da bolinha de
papel que os internautas chamaram de Serra-Rojas.

Começou na revista Época, que a Globo quer usá-la para ocupar o lugar
da desacreditada Veja

Na sexta-feira passada, a revista Época das organizações Globo abafou
as denúncias sobre José Serra e Paulo Preto (a dita propina no
Rodoanel), e foi buscar nos arquivos uma denúncia de um anos atrás do
BNB (Banco do Nordeste).

Em julho de 2011 o BNB instaurou sindicância para apurar denúncias de
funcionários, sobre empréstimos irregulares, feitos entre 2009 até o
início de 2011. Além do afastamento de vários funcionários desde
então, o banco agiu em conjunto com a CGU, Ministério Público e
Polícia Federal para as apurações devidas, que estão em curso.

A parte verdadeira que a revista Época publicou, está no próprio
relatório de auditoria interna do BNB, mas a revista avançou o sinal
ao fazer acusações precipitadas e levianas, misturando doações de
campanha oficiais de valor relativamente pequeno e compatível com o
salário de funcionários do BNB, como se fossem associadas a desvio de
conduta pessoal de terceiros.

A reportagem na Época ficou engavetada um ano, talvez pelos próprios
editores admitirem que faltava substância na denúncia para haver
interesse no noticiário nacional. Fraudes em bancos, praticados por um
ou outro funcionário, inclusive em bancos privados, ocorrem de tempos
em tempos, são descobertas, e os responsáveis são afastados e
entregues à justiça.

Mas a revista resolveu publicar na sexta-feira, quando a campanha pré-
eleitoral está em curso, e a revista não consegue esconder seu
partidarismo demotucano quando cita a sigla PT quinze vezes na
matéria, quase todas as vezes de forma forçosa e negativa.

O "Jornal Nacional" poderia ter repercutido no sábado, como costuma
fazer com as matérias de revista que saem no fim de semana, mas
preferiu esperar pela segunda-feira, quando seria obrigado a falar de
Marconi Perillo (PSDB-GO), já que na terça o tucano deporá na CPI do
Cachoeira.

Globo mentiu

E William Bonner ainda mentiu. Os poucos segundos em que falou sobre a
versão do outro lado, citou uma nota oficial do BNB como se tivesse
sido divulgada na noite de segunda, pouco antes do telejornal. A nota
foi divulgada na sexta-feira, dia 8:


http://goo.gl/vL8vF
Para piorar, o JN omitiu explicações importantes da nota.

A baixaria da Globo este ano está pesada, coisa de quem está
desesperado. Talvez porque jornalistas da revista Época e do próprio
Jornal Nacional, também venham a ser convocados a depor na CPI do
Cachoeira, uma vez que o esquema do bicheiro também usou a revista
para plantar notícias do interesse da organização criminosa. Talvez
porque pesquisas qualitativas indiquem que o DEM e o PSDB, braço
político da emissora, estão a caminho de sofrer outra derrota nas
urnas.

Eis a íntegra da nota do BNB:
Eis a íntegra da nota do BNB:

Nota sobre denúncias de irregularidades em operações de crédito

A respeito de recentes notícias publicadas na imprensa sobre operações
de crédito irregulares no Banco do Nordeste do Brasil, no período
compreendido entre o final de 2009 ao início de 2011, esclarecemos que
esta Instituição, tão logo tomou conhecimento, ainda em julho de 2011,
dos primeiros indícios de irregularidades, adotou imediatamente todas
as providências que a situação reclamava.

No próprio mês de julho/2011 foi instaurado o primeiro de quatro
procedimentos de sindicância que se encontram em andamento, por
determinação da Diretoria do Banco, com o fim de apurar todos os fatos
em questão e os que foram surgindo ao longo das investigações. Estas
apurações já resultaram no afastamento e demissão de vários
colaboradores. Além disso, o banco passou, espontaneamente, a
interagir com os órgãos de controle externo – CGU, Ministério Público
e Polícia Federal - a fim de que o assunto recebesse os
encaminhamentos e apurações devidos, para além daqueles levados a
curso no âmbito do próprio Banco do Nordeste.

As próprias informações divulgadas pela imprensa são provenientes de
relatório de auditoria interna do Banco, o que confirma a adoção de
providências tempestivas pela instituição já há quase um ano.

Importante observar que nos anos de 2010 e 2011, o Banco do Nordeste
contratou a quantidade de 5,8 milhões de operações de crédito, sendo
que as irregularidades envolveram operações contratadas por 24
clientes deste universo. Inobstante, foram aprovados pela Diretoria, e
imediatamente implementados, diversos aperfeiçoamentos nos processos
de crédito, com vistas a mitigar os riscos da ocorrência de novos
eventos da espécie.

Por fim, informamos que todas as decisões relacionadas à concessão de
crédito no âmbito do Banco do Nordeste são tomadas, exclusivamente,
por meio de critérios técnicos e de forma colegiada, existindo, para
tanto, diversos comitês na estrutura de governança corporativa do
Banco.
.